Automação pode aumentar o número de empregos no futuro

A ideia de que robôs devem substituir o emprego de milhares de pessoas vem sendo discutida há algum tempo, porém o novo relatório apresentado no Fórum Econômico Mundial aponta que o avanço nas tecnologias de automação pode gerar mais empregos do que acabar com eles.

Trata-se do relatório “The Future of Jobs 2018”, publicado dia 17 de setembro de 2018 pelo Fórum Econômico Mundial, que pesquisou os efeitos das transformações no trabalho até 2022.

O resultado da pesquisa projeta que 75 milhões de empregos desaparecerão, enquanto 133 milhões serão criados. O que resulta em um saldo positivo de 58 milhões de novos empregos.

Outro aspecto a ser analisado é a qualidade dos empregos. Essas transformações podem levar a uma nova era de bons empregos, aumento da produtividade e da qualidade de vida.

“As transformações na força de trabalho não são mais um aspecto do futuro distante. Conforme mostrado na perspectiva de cinco anos deste relatório, essas transformações são uma característica dos locais de trabalho e do meio de vida atual das pessoas e devem continuar no curto prazo. Esperamos que esse relatório seja um apelo a governos, empresas, educadores e indivíduos para aproveitarem rapidamente essa breve janela de oportunidades e criarem um novo futuro de bons empregos para todos.” Klaus Schwab Fundador e presidente do Fórum Econômico Mundial (Nexo Jornal)

Os principais fatores que alavancam esse cenário são:

  • Onipresença de internet móvel de alta velocidade
  • Inteligência artificial
  • Ampla adoção de análise de grandes volumes de dados (big data)
  • Computação em nuvem

Outras áreas também afetam a projeção da pesquisa no âmbito mundial, como tendências de crescimento econômico, maior acesso à educação por indivíduos de classe média, o movimento global sobre sustentabilidade que  deverá afetar positivamente o setor de energia, por exemplo.

O conjunto desses cenários deve favorecer o surgimento de novas áreas de especialização e gerar novos empregos qualificados.

Impacto da automação no mercado de trabalho no Brasil

O Brasil aparece no estudo. A pesquisa realizada com representantes das empresas locais aponta 88% de possibilidade de contratação para profissionais em cargos de gerência com competências relevantes ligadas a novas tecnologias.

86% dos entrevistados no país revelaram interesse em adotar automação na sua empresa e 68% esperam que seus funcionários se qualifiquem para os novos tipos de trabalho que virão.

Os cargos destacados são desenvolvedores e analistas de software e aplicações, cientistas , analistas de dados e analistas financeiros.

O estudo também oferece diversas recomendações para que governo, indústria e trabalhadores possam garantir que essas transformações positivas aconteçam.

Para Klaus Schwab, que é presidente da organização suíça – autor de livros sobre a “quarta revolução industrial” – o cenário positivo, no entanto, envolve uma transição difícil para milhões de trabalhadores e dependerá de “liderança firme e espírito empreendedor” de empresários e governantes. (Nexo)